A segunda fase de “Além do Tempo”

Olá, pessoal!

Nosso post tá especial e fiquei me coçando para postá-lo ainda hoje por aqui! Vamos falar sobre as primeiras impressões da segunda fase da novela “Além do Tempo”, que teve início nesta quarta, dia 21/10/2015 o/

Sim, se você reparar, foi tudo um grande plano da Senhora austera Rede Globo..! Qual o momento que escolheram para a novela dar um salto de 120 anos?!?! Justamente no dia em que Marty McFly (do filme “De Volta Para o Futuro”) chega em 2015, na segunda parte da franquia de sucesso, em 1989. Muito suspeito..!
Eles até fizeram uma brincadeira com o fato!
Bem, se você não sabe nem do que estamos falando, aqui vai um resumo maroto!
Ahhh, se preferir, também pode dar uma olhada no post que fizemos assim que a novela estreou, clicando aqui! 😉
A trama é espírita e inova totalmente a dramaturgia ao propor o conceito de apresentar ao telespectador duas novelas em uma só! A dinâmica é a seguinte: na primeira fase, que se passa no século XIX, somos apresentados aos personagens e às suas ambições, aos seus amores e ideologias. Já na segunda, estamos no século XXI e somos apresentados aos resgates desses mesmos personagens..!
Para quem não conhece a filosofia baseada no espiritismo, o resgate nada mais é do que a purgação purificadora do mal que infeccionou o espírito.
De forma mais simplificada: é o “aqui se faz, aqui se paga” na prática! Se uma pessoa foi ruim, preconceituosa, mesquinha ou tenha tido qualquer outro desvio de caráter em vidas passadas, ela adquire um karma que terá que pagar em outras vidas. Ou, também, se a pessoa não cumpriu sua missão celestial (sim, todos nós possuímos missões aqui na Terra) ela terá que reencarnar para poder realizá-la com êxito!
Dito isso, vamos a um resuminho da história de fato! O fio condutor e central da primeira parte recai sobre a história de amor entre Bernardo Catelinni (Bernardo Marinho) – um nobre Conde – e Allegra/Emília DiFiori (Gabriella Di Grecco) – uma atriz saltimbanco. Eles se conhecem em um dos espetáculos da moça e se apaixonam à primeira vista.
Mas quem não gosta nada dessa aproximação dos dois é a mãe do rapaz, a Condessa Vitória Castelinni (interpretada, brilhantemente, por Irene Ravache). Vitória sonha em ver o filho casado com uma moça da nobreza e não esconde esse seu desejo. Chega a brigar com Bernardo inúmeras vezes por causa de sua escolha amorosa e decide armar um plano ardiloso: matar Emília.
Ela não tem tempo pra quem tá começando.. Co licença, obrigado/de nada.
 
 
A Condessa, sob o pretexto de fazer as pazes com a saltimbanco, decide chamá-la para um encontro amigável em sua residência. Bernardo, desconfiando dos verdadeiros intuitos da mãe, decide ir no lugar de sua amada. Porém, ele não esperava que Vitória mandasse seu capanga mor, Bento (Luiz Carlos Vasconcellos), atirar na carruagem, causando um verdadeiro acidente!
Chama o SAMU Doutor Botelho, xente!
 
 
Bernardo, no entanto, não morre esse é soldado. Porém, perde a memória e é internado em um hospício por sua própria mãe (que prefere ficar longe do filho do que apresentá-lo à alta sociedade como sendo um louco). A Condessa também forja um túmulo para ele e diz a todos que está morto. O que ela não sabe é que Emília está prenha de Bernardo e espera sua neta, Lívia (Alinne gata garota Moraes).
Lívia cresce, vira mulher e tem que encarar com muita fé seria o bastante? Sua mãe a matricula em um convento, onde ela passa toda sua infância e adolescência presa e isolada do mundo que a cerca (justamente para não obter contato com sua avó, a Condessa). No entanto, no dia em que está indo fazer seus votos de noviça, o cocheiro da charrete, Ariel (Michel Melamed), se atrapalha com as rédeas e perde o controle do cavalo. Quem a salva, justamente, é o Conde Felipe (Rafael Cardoso), que passava por lá neste momento tão desesperador e conflitante. É amor, é paixão, é luxúria libidinosa logo de cara, minha gente! Dessa forma, surge um casal mais shippável do que o PeRina: o #LiVipe <3
O amor é feito de paixões e quando perde a razão / Não sabe quem vai machucar
 
 
P.S.: Ariel é um anjo e tenta fazer de tudo para que Lívia e Felipe terminem bem e sigam seu caminho. Porém, ele acaba alterando a justiça e a vontade divina e perde suas asas e seus poderes, mantendo apenas sua forma humana e o poder da oração.
 
 
Mas, como nem tudo são flores, Felipe está de casamento marcado com a afilhada de Vitória, Melissa (Paolla Oliveira) e Lívia é amada por seu amigo de infância, Pedro (Emilio Dantas). Eles não gostam nada do envolvimento dos pombinhos e fazem de tudo para separá-los!
É como diz o velho ditado: Haters Gonna Hate
 
 
Pulando para o nosso casal senil, Bernardo (Felipe Camargo) consegue fugir do hospício onde estava e vai parar perto da casa onde ele e Emília (Ana Beatriz Nogueira) viviam no passado. Com isso, acontece um encontro emocionante entre ele e sua amada o/ É muito tesão amor!
Mas se lembram do capanga da Condessa, o Bento? Pois bem, ele fica sabendo da escapada de Bernardo e não desiste de procurá-lo. Eis que ele o acha e o leva para encontrar a Condessa, que manda seu criado levar o filho acorrentado de volta para uma taberna abandonada até ela voltar para São Paulo e tornar a interná-lo.
Porém, acontece uma reviravolta inesperada: Lívia decide abrir o jogo com Felipe sobre sua verdadeira identidade e revela que é neta da Condessa. O Condão decide ajudar sua amada e resgata Bernardo de seu cativeiro, levando ele para a casa dos Castelinni!!! (Sim, gente… Essa novela é só babado e confusão)!
Nisso, Felipe termina seu casamento com Melissa na frente de todos os convidados, foge com Lívia para ser feliz nas Tundras e Pradarias e, finalmente, reafirma seu amor com ela na mesma banheira onde Emília e Bernardo se banhavam.
Um sentimento, 4 letras: NOJO.
Bernardo só observa essa zoeira aí…..
Por falar nele, mais um grave incidente acontece: Vitória atira em seu próprio filho!! Ele vagueia pelo casarão tentando encontrar a mãe, de noite. No entanto, a Condessa confunde Bernardo com seu capanga Bento (por quem já vinha sendo chantageada e ameaçada). Para se defender, ela então dispara contra o filho perdido. Bernardo cai no chão e a Condessa se desespera.
Emília é avisada por Pedro sobre o ocorrido e decide e ir até o território da rival, que pensava que sua inimiga estivesse morta (Emília havia forjado sua morte no início da trama). As duas se enfrentam, trocam farpas e Bernardo acaba falando na cara da mãe que ela foi a grande responsável por ter arruinado sua vida, decidindo ficar com a amada. Eles então vai embora e a Condessa termina sua vida sozinha e abandonada, restando-lhe apenas a companhia de sua velha cão de guarda Zilda (Nívea Maria), que sempre lhe prestou total admiração e a quem dedicou sua vida inteira – sem ser reconhecida pela patroa.
A fase inicial acaba com uma cena de tirar o fôlego!! Em uma sequência super bem roteirizada e dirigida, Melissa e Pedro decidem se vingar de Felipe e Lívia. Enqunato o casal 20 está se beijando e jurando amor eterno na beira de um penhasco (?????????), o vilão desafia o conde para uma luta de espadas.
Felipe aceita o desafio. Enquanto está distraído, Melissa chega por detrás das rochas e empurra Lívia penhasco abaixo!
A mocinha cai e Felipe e Pedro se desesperam!! O vilão, enfurecido com Melissa por ela ter agredido a amada, a mata com um golpe de espada.
Porém, uma surpresa: Lívia e Felipe não morreram!!!! Eles estavam pendurados no penhasco tentando se salvar e pedindo a ajuda de Pedro.
O safado, no entanto, enfurecido de ver Lívia nos braços de outro homem, mata o conde e o casal cai nas águas. Essa cena agora me arrepia muitíssimo!! Eles caem abraçados e vão afundando juntos. Felipe já está morto, mas Lívia não. Ela decide morrer junto ao amado, submergindo aos poucos na cachoeira em uma cena que entrou para o hall das mais icônicas da telenovelas brasileiras, sem dúvidas..! Tudo isto ao som de “Together”, música extremamente profunda da banda The XX!! Simplesmente emocionante e de fazer qualquer cristão ir às lágrimas (e que você pode conferir clicando aqui).
Eis que o tempo passa e a uva passa! Estamos no século XXI e somos apresentados às novas versões dos personagens e o que mudou na vida de cada um deles.
Lívia, por exemplo, se tornou uma empresária de sucesso junto com sua mãe, Emília. Nasceu na Itália e cresceu dentro do mundo dos vinhos. É Sommalier Master (consegue acertar os vinhos na degustação às cegas) e está noiva de Pedro.
Já Felipe é dono da Vinícula Campobello (no Sul do país). É um rapaz generoso, de coração bão e que vive feliz ao lado de sua esposa, Melissa, e seu filho, menino Alex (Kadu Schons).
E a rivalidade entre Vitória e Emília? Ainda existe?
Emília é dona de uma renomada empresa de importação de vinhos, a Casa Beraldini. Também nasceu na Itália e sofreu durante muito tempo por ter sido abandonada por sua mãe, chegando até a ficar sem falar por um tempo.
Já Vitória abandonou sua família na Itália depois que se apaixonou por um brasileiro e que, por isso, sofreu pelo ódio de seu ex-marido, Alberto (Juca de Oliveira) – que a obrigou a se afastar da prórpia filha. Guarda remorso por seu passado e por sua família perdida. No Brasil, é uma empreendedora aparentemente falida.
Siiiiim, meu povo e minha pova!!!!! Emília e Vitória nada mais são do que…… SPOILER
*
*
*
*
*
*
*
MÃE E FILHA!!!!!
Muito bonito como essas relações serão construídas ao longo dessa segunda fase. Imagino que Elizabeth Jhin não poupará em sensibilidade e em surpresas para dar continuidade a esta obra-prima da teledramaturgia brasileira!
Mas, por onde anda nosso anjinho faceiro e trapalhão, o Ariel??
Certamente, beijando muitas bocas
É um anjo moderno, esse hahaha (Brincadeiras à parte, a foto acima é do talk show que o ator Michel Melamed comandará no Canal Brasil, a partir do dia 08 de novembro, o “Bipolar Show”. Fica a dica pra quem quiser assistir; e também faremos um post sobre ele aqui no blog!).
Ariel continua como anjo nessa nova fase, porém não acredita mais no amor. Junto com o Mestre dos Magos (Othon Bastos) e com Cícero (Saulo Arcoverde), formará a tríade celestial deste novo momento da trama!
Lívia e Felipe já se esbarraram e trocaram olhares no metrô do Rio. Porém, só se conhecerão mesmo quando a moça viajar para o Sul a trabalho e se interessar pela vinícula de Felipe. E sim, Melissa ainda será sua rival, mostrando que o karma de outras vidas ainda está presente na narrativa. Resta ver como as situações irão se desenvolver agora que eles têm uma nova chance de reparar atitudes outrora erradas, ou de terminar ações que não foram finalizadas.
Abaixo, você pode conferir um mapa de relações entre os personagens tanto no século XIX, quanto agora, no século XXI!
Fonte: GShow
Fonte: GShow
 
 
É importante citar que atores que não estavam presentes na primeira fase da novela passam a integrar agora o time! É o caso de Klara Castanho (intérprete da rebelde Alice), Maria Joana (Michele) e Cadu Libonati (Mateus). Este último, é neto de Irene Ravache (que interpreta a Condessa Vitória na história).
 
 
Como devem ter reparado, a logo também mudou de uma fase para a outra!
Aqui, era mais desbotada, mais antiga
 
Já aqui, se atualiza sem perder a essência
 
 
Além disto, a abertura também passou por reformulações (embora, PARA NOOOOOOOSSA ALEGRIA, a música-tema continue sendo “Palavras”, da saudosa Cássia Eller).
Nesta primeira versão, fica bem enfatizada a ideia da semente, logo no início, sendo plantada e criando raízes na terra e nas relações interpessoais.
Já nesta segunda, a ideia de colher o que se plantou é constante! A semente no início retorna, agora subindo ao invés de descer. A mão na terra também indica esta ideia, além das colheitas das uvas (principal negócio e ganha pão das personagens nesta fase atual). Para além disto, elementos modernos são incrementados poeticamente, como prédios, aviões e tratores, por exemplo.
 
Vale a pena elogiar, mais uma vez, a autora da trama, a magnífica Elizabeth Jhin! Ela está de parabéns, pois conseguiu captar no que o público está carente quando o assunto é novela. Não estamos precisando de vários efeitos especiais, como em “Os Dez Mandamentos”, ou de histórias que apostem em violência, como em “A Regra do Jogo”… Precisamos, pura e simplesmente, de boas histórias que apostem na simplicidade das relações e do amor, em sua forma mais pura! Precisamos de uma dose de esperança e acalento, e isto “Além do Tempo” tem de sobra!
Aproveito para elogiar também o diretor geral do folhetim, Rogério Gomes (vulgo Papinha rs). Está fazendo um trabalho de muita competência e delicadeza!
A equipe inteira está maravilhosa, dos figurinistas, aos maquiadores, do elenco excepcional, aos câmeras! Assim como acontecia em “Verdades Secretas”, esta não é uma novela para ser simplesmente assistida, mas sim, apreciada em seus belos detalhes!
“Além do Tempo” vai ao ar de segunda a sábado, às 18:30, na Globo.
Espero que tenham curtido mais esse capítulo do Guia, pessoal!
Um grande abraço e até a próxima! 🙂

 

 

O maior noveleiro que você respeita. Tem 22 anos, é canceriano e cursa Estudos de Mídia, na UFF. Televisão, fotografia e livros estão entre suas maiores paixões - junto com farofa e empada, claro. Já foi professor de inglês, participou de um concurso de roteiristas para o G Show e, atualmente, também escreve para o #MUSEUdeMEMES (believe, it’s true <3).

Posts relacionados

Nenhum comentário

  1. Muito obrigado pelo elogio, Mari!! 🙂 Fico super feliz que tenha curtido a dinâmica do texto o/ Siiim, essa segunda fase está muito bonita e a história, muito bem amarrada!! Por mais novelas assim, meu Deus! Hahaha

    Beijos e continue ligada aqui no Blog!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.