Já que é pra tombar, Shonda Rhimes tombou!

“Grey’s Anatomy”, “How to Get Away with Murder” e “Scandal” sāo séries famosas, maravilhosas, recheadas de representatividade e empoderamento, todas produzidas por Shonda. Eita mulher criativa! Sem dúvidas,Shonda Lynn Rhimes já nos fez rir, chorar (e nāo foi pouco rs) e refletir com as temáticas das séries que criou.


A primeira série de sua autoria foi “Grey’s” que, até hoje, é o carro chefe da ABC – entre tretas, saídas e “mortes” de personagens, a atraçāo está no ar, firme e forte, desde 2005. Na trama, o papel principal é estrelado por uma mulher, há negros em posicionamento de poder, relacionamentos homoafetivos, personagens cristāos e por aí vai, focando na diversidade  e nos desafios enfrentados pelas pessoas diariamente, com aquela pitada de drama que só Rhimes é capaz de criar. Com “GA”, ela nos mostrou a que veio, nāo poupou talento e arrasou! A autora tem o dom de nos surpreender e conduzir a narrativa de uma forma extremamente autêntica, mas também arrasa ao desenvolver e presentear seu público com clichês narrativos excelentes.


Shonda, no meio, cercada por atores de suas séries <3

Aos 46 anos, Rhimes já produziu as seguintes tramas (além, claro, das séries citadas acima): “Private Practice” (spin off de “Grey’s”, ficou no ar até 2013) e “The Cacth”, que iniciou este ano. O que nem todos sabem é que a “dona” de Shondaland também foi responsável pelo roteiro de alguns filmes, entre eles “Introducing Dorothy Dandridge”, “Crossroads” e “The Princess Diaries 2: (que fofa rs) Royal Engagement” 


Em 2015, a diva da TV fez um discurso maravilhoso no baile da Campanha de Direitos Humanos. Quem assiste, já sabe que esta fala reflete absurdamente bem o que as produções de Shonda expressam. Segue um trecho do lacre:

“Você deveria ligar a TV e ver a sua tribo. O objetivo é que todo mundo ligue a televisão veja alguém com quem se parece, que ame da mesma forma. Mas o mais importante, todo mundo deveria ligar a TV e ver alguém com quem não se parece ou que ame diferente. Porque assim todo mundo aprenderia com essas pessoas. Por que assim seria possível se reconhecer neles. Então, assim, aprenderíamos a amá-los.
Para terminar, eu quero dizer isso: se você é uma criança e está por aí, gordo, não tão bonito, nerd, tímido, invisível e ferido. Qualquer que seja sua raça, seu gênero, sua orientação sexual, eu estou aqui para dizer: você não está sozinho. Sua tribo, ela está por aí no mundo. Esperando por você.”
(Traduçāo: Blog Papel POP) 
 
Ver-se através dos personagens…. Shonda nos lembra do que tanto falamos: REPRESENTATIVIDADE IMPORTA! Como nāo amar?

“Que se dane o mundo lá fora e o que ele pensa”

Dayana, mas pode chamar de Day. 22 anos, formada em Estudos de Mídia. Ama novelas mexicanas e gifs da Gretchen. A dramática que sorri até os olhos (que sāo bastante expressivos) fecharem e sabe que fazer bolos é quase terapêutico. Analista de Mídias Sociais, apaixonada por cultura POP, séries médicas, feminismo e representatividade.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.