Bela e perigosa – Rubi está de volta!

O título clichê e tendendo ao exagero cabe perfeitamente para fazer menção à novela “Rubi“. Sabe aquela atração mexicana bem típica?! Há a mocinha caricata (que chega a irritar, tamanha a inocência), a malvada, o(s) galã(s) e toda aquela história de intriga, amor mal resolvido, MUITAS lágrimas e tal.


A história é sobre Rubi (Barbara Mori), uma mulher extremamente bonita, que atrai olhares por onde passa e é capaz de TUDO por dinheiro – inclusive se o preço para isso for trair sua melhor amiga, Maribel (interpretada por Jacqueline Bracamontes). Sem escrúpulos, ela “rouba” o boy da BFF, deixa a família em segundo plano, abandona seu amor verdadeiro e vive em prol de uma realidade de riquezas e luxo. É muita intriga pra uma novela só hahahaha

No Brasil, esta é a terceira vez que o SBT reprisa a telenovela. Porém, depois de tanto assistir, esse pode ser o momento de destacar alguns pontos problemáticos.

– O Heitor (Sebastián Rulli) é um personagem tido como vítima. Mas cá entre nós, não é bem assim. Como grande parte das narrativas mexicanas, o machismo é algo forte! Se formos parar para reparar, ele fica com a Rubi porque quer, tem umas falhas de caráter e age como um garoto mimado. É um pouco irritante a romantização em torno do personagem, que acha que o mundo gira ao seu redor.

– É engraçada a forma com que colocam a sedução como algo impossível de recusar. Rubi fica como a destruidora e “relevam” a culpa dos homens.

– Agressões, de certa forma, têm espaços rotineiros no folhetim. Perdi a conta de quantas vezes Rubi levou “chacoalhões” do Alessandro e do Heitor.

– Rubi é estuprada. O que acontece? NADA! Sim, o marido a estupra e o máximo que houve foi uma reclamação ao tio do moço.

O fato é que a construção narrativa desta telenovela é boa, prende o telespectador. Conseguimos rir, chorar, sentir raiva e dó, muitas vezes, tudo ao mesmo tempo. No entanto, algumas pautas importantes ficam tāo de lado, que é legal, algumas vezes, pararmos para refletir.

E aí, vc notou outros pontos e quer compartilhar com a gente? Amaremos saber =)

Dayana, mas pode chamar de Day. 22 anos, formada em Estudos de Mídia. Ama novelas mexicanas e gifs da Gretchen. A dramática que sorri até os olhos (que sāo bastante expressivos) fecharem e sabe que fazer bolos é quase terapêutico. Analista de Mídias Sociais, apaixonada por cultura POP, séries médicas, feminismo e representatividade.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.